Nathy Kihara pelada na Revista Sexy de Julho 2018

Nathy Kihara pelada na Revista Sexy de Julho 2018

Fotos digitais com a Nathy Kihara, mineira de Paracatu, 31 anos, vencedora do concurso Musa de Ipanema pelada na Revista Sexy de Julho 2018

“A estonteante Nathy Kihara foi a vencedora do concurso Musa de Ipanema com uma votação esmagadora. E é fácil entender o motivo quando ela vem e quando ela passa.”

Leia a entrevista completa depois das fotos.

Nathy Kihara pelada na Revista Sexy de Julho 2018


Nathy Kihara, 31 anos, de Paracatu, MG

É a primeira vez que faz um ensaio nu?
– Não. Meu último ensaio é bem recente. Posei para a Playboy da Itália neste mês.

O que achou dele?
– Gostei bastante! Particularmente, eu encaro estes ensaios como uma manifestação artística. Mesmo que por imagens, conseguimos transmitir sensualidade, prazer e alegria. Sou uma artista e meu corpo é minha obra.

Como se sente sendo a vencedora da segunda edição do concurso musa de Ipanema?
– Me sinto muito bem. Toda mulher gosta de ser reconhecida e valorizada, e é melhor ainda porque tudo isto está acontecendo aqui. Ser a Musa de Ipanema entre tantas candidatas é uma honra. Afinal, desde a canção de Tom Jobim, a Garota de Ipanema consegue capturar e traduzir toda ginga, bronzeado e sensualidade que só a mulher brasileira tem.

Quais os planos daqui para frente?
– Eu continuo com minha carreira de modelo. Também tenho estudado propostas para estrear em novas revistas nacionais e internacionais voltadas ao público masculino, além das campanhas que já realizo pela Europa.

Esperava esse sucesso todo nas redes sociais?
– Para ser bem sincera, não. Quando fazemos ensaios, desfiles e exposições fotográficas nós sempre queremos que o trabalho repercuta da melhor maneira possível, mas o sucesso nas redes sociais veio de maneira virulenta. Estou muito feliz com isso. Algumas fotos tiveram recordes de “likes”, tanto na rapidez quanto na quantidade e estou adorando todo este feedback positivo do público.

Como começou a carreira?
– Acho que minha carreira começou desde que eu nasci (risos). Sempre gostei de maquiagens, roupas de grife, desfiles, fotos, etc. Quando eu era adolescente também fazia pequenos comerciais e estreava algumas campanhas aqui mesmo, no Brasil. Aos poucos foram surgindo bons contratos.

Onde está morando atualmente?
– Atualmente eu moro na Itália por questões de trabalho, mas me divido muito entre lá e cá (risos).

Como foi a sua adaptação?
– Como qualquer processo de adaptação a gente nunca se acostuma em um ou dois dias, mas eu me adaptei muito bem e rápido, tanto com as pessoas, com a cultura e até mesmo com o clima.

Sente saudade de alguma coisa?
– Sim, o Brasil tem seus problemas, mas é meu país de origem. Este calor humano, este contato de amizade, o sorriso fácil que você não encontra em qualquer lugar do mundo, me faz falta. Sem falar do nosso tempero, as belas praias e este clima maravilhoso.

Como é a sua rotina?
– Minha rotina inclui a prática de esportes, cuidados com a alimentação e corpo, muita malhação (às vezes, até de madrugada), além de me dividir entre as muitas viagens de trabalho. Organizar tudo isso às vezes é complicado.

Como os homens devem chegar em você?
– Olha, eu sou talvez a moda antiga, gosto de ser tratada com carinhos e presentes. Qual a mulher que não gosta? Para chegar em mim, talvez, estes sejam os principais requisitos.

Prefere o europeu ou o brasileiro?
– Particularmente não ligo para nacionalidade. Eu prefiro pessoas que sejam educadas, elegantes, independente da onde ela seja. Mas tem que ter aquela “pegada”.

Como você gosta do sexo?
– Às vezes, falar de sexo para algumas pessoas é desconfortável, mas para mim não. Sexo faz bem, e até mesmo pelo sexo é que todos estão aqui. Gosto de experimentar coisas novas, lugares diferentes, enfim, há uma infinidade de maneiras para que o sexo seja sempre gostoso, picante e traga prazer.

Quais fantasias já realizou?
– Não nego que sempre tive uma quedinha pelo sexo em locais diferentes. Já realizei diversas fantasias como, por exemplo, um bom sexo no elevador, no avião e até mesmo ao ar livre. Sei lá, isso me dá um certo “frisson”.

Você se considera boa de cama?
– Sim, sem falsas modéstias. Gosto de sexo e gosto de maneiras diferentes de fazer sexo. Não meço esforços e limites para dar e receber prazer.

O que te faz gozar rápido?
– Pode parecer bobagem, mas sei lá, acho que meu ponto “G” fica nos ouvidos (risos). Sussurros ao pé da orelha, frases ditas baixinho no ouvido e pequenos gemidos de prazer me levam a loucura.

Conta para gente uma transa memorável.
– Foi uma bem espontânea e natural! Aconteceu num camping, em um simples colchão inflável (risos). Fiz um sexo inesquecível.

Posts Relacionados