Luciane Hoepers pelada na Revista Sexy de Agosto 2017

Luciane Hoepers pelada na Revista Sexy de Agosto 2017 – Fotos da loira linda e gostosa Luciane Hoepers, a beldade que ficou conhecida como a musa da Lava Jato, pelada na Revista Sexy de Agosto 2017.

A musa fitness, aos 33 anos de idade, mostra seu belo corpo malhado e cheio de curvas, novamente nas páginas da Sexy. Luciane já posou pelada na Revista Sexy de Janeiro 2011. Veja essas fotos nos Posts Relacionados.

Como diz no site da Sexy: “Luciane Hoepers não é só bonita e chama atenção pelas suas curvas, ela tem muita história pra contar e se mostra deliciosamente à vontade”

Formada em Administração e pós-graduada em Economia, Luciane usará o cachê da revista para investir nos estudos. “Meu intuito é usá-lo em uma nova graduação. Agora em Psicologia. Minha paixão sempre foi estudar de forma mais intensa o comportamento humano”, afirma a modelo, que faz segredo em relação ao valor recebido para posar nua.

A bela gaúcha também é conhecida como “Miss Plásticas”, devido aos 14 procedimentos cirúrgicos que já fez, que totalizaram R$ 400 mil. “Sou uma Musa Fitness lapidada por plásticas, mais de 14 cirurgias, somando um montante de R$ 400 mil”, revela a gata.

Luciane foi presa durante a Operação Miqueias, em setembro de 2013, por suspeita de ser uma das arquitetas de um esquema de desvio de dinheiro de fundos de pensão municipais, que movimentou cerca de 300 milhões de reais. A Lava-jato pode ser considerada também um desdobramento da Operação Miqueias.

Leia no final do post a entrevista completa e veja o vídeo com o making of dessas fotos sensacionais !

Luciane Hoepers pelada na Revista Sexy de Agosto 2017


Luciane Hoepers , 33 anos, de Joinville – SC

>> Luciane, você ficou conhecida como a musa da Lava Jato. Nos conte um pouco sobre isso.
– Em 2013 fui presa pela operação realizada pela Polícia Federal conhecida como Operação Miqueias sob acusações de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e formação de quadrilha. Minha função assim como a de outros funcionários era a apresentação de fundos de investimentos para previdência social, onde envolviam muitos grandes nomes da política brasileira. Pelos desdobramentos dessa operação se iniciou a Lava Jato e muitos envolvidos estão repetidos em ambas.

>> Quanto tempo ficou presa? Chegou a concluir o processo ou ainda está rolando?
– Prisão temporária de 5 dias. O processo ainda caminha, considerando que há muitos envolvidos a serem ouvidos.

>> Como as pessoas reagem quando ficam sabendo da sua história?
– No cenário atual não há mais espanto, porém o fato de ser uma mulher assusta um pouco. Depende da posição e entendimento de cada um que escuta. Alguns agem com preconceito, outros com admiração pela minha inteligência e articulação por estar envolvida em algo tão grandioso. Também pela minha força para me reerguer e hoje mudar minha história de vida após tantos tormentos.

>> Hoje qual a sua relação com esse assunto e essas pessoas?
– Nunca usei a postura de vítima! A mídia distorce muito os fatos e tive que aprender a lidar com o preconceito leigo de quem só acredita no que lê, mas isto não me incomoda mais. Me fez uma mulher mais forte, sábia e preparada para os desafios da vida. Quanto a relação com os envolvidos da Operação, não tenho mais contato. Quando alguém “cai” por qualquer operação se torna “leproso” e todos se afastam com medo de envolvimento. Isto também foi algo que tive que ser inteligente emocionalmente para não levar pro lado pessoal. Minha vida seguiu outro caminho.

>> Você deve ser muito assediada, não? Chegou a comentar conosco que dificultou a sua carreira profissional. Como lida com isso hoje em dia?
– Na época em que trabalhava no mercado financeiro realmente era um problema, por mais que estivesse preparada tecnicamente, em geral, as pessoas se surpreendiam pela beleza e colocavam em questão a minha capacidade. Para trabalhar na mídia isto é essencial, além do talento.Também tenho dificuldades com as relações pessoais, onde as mulheres não gostam de estar perto em eventos e até mesmo com parceiros que se sentem inseguros.